Os 50 Anos do Filme "My Fair Lady"

domingo, setembro 21, 2014


Em 1964, estreava o filme My Fair Lady, uma produção cinematográfica inesquecível, que entrou para a história do cinema.
A trama do filme era baseada no romance Pigmalião de George Bernard Shaw, que foi adaptado para o teatro e apresentado pela primeira vez na Irlanda em 1912.
O Pigmalião da mitologia antiga apaixona-se pela estátua que ele próprio esculpiu. A peça Pigmaleão, de Bernard Shaw, conta a história de Eliza Doolitle, uma vendedora de flores ambulante na Londres do início do século 20. Sua linguagem é uma afronta à língua inglesa, seu vocabulário, paupérrimo e de baixo calão, e sua pronúncia, uma desgraça. Um eminente fonético, o professor Higgins impõe a si mesmo um desafio: reeduca-la e faze-la passar por uma dama da sociedade. Mas esse será apenas o início dessa comédia deliciosa em que Shaw denuncia as diferenças sociais e de classe

Pygmalion, de George Bernard Shaw publicado no Everybody Magazine em 1914





Em 1938, o romance de Bernard Shaw foi adaptado para o cinema, com diálogos e cenas diferentes das que foram exibidas no teatro, escritas pelo próprio Bernard. 
O filme foi distribuído pelos estúdios MGM nos Estados Unidos e pela General Films no Reino Unido. A direção era de Anthony Asquith e Leslie Howard. Leslie fazia o papel de Higgins e a atriz Wendy Hiller interpretava Liza Doolittle. A versão cinematográfica não era musical e nem de época, a história se passava na década de 30 mesmo, o período em que foi rodado o filme.



Em 1956, Pygmalion se transforma em um musical da Broadway, com o título de My Fair Lady, o nome veio de uma antiga canção popular britânica, cantada geralmente por crianças que diz:

London Bridge is falling down,
Falling down, falling down.
London Bridge is falling down,
My fair lady

No show business, My Fair Lady soaria melhor e seria mais popular do que Pygmalion
A versão musical tinha Rex Harrison no papel do professor Higgins e Julie Andrews fazendo a personagem Eliza Doolittle.
O ator Rex Harrison não tinha um potencial de voz adequado para cantar, ele praticamente declamava as canções.
A peça foi um sucesso estrondoso, levou vários prêmios Tony, que seria como o Oscar do teatro americano.
Esse êxito nos palcos, levou o produtor Jack Warner a criar o projeto de levar o musical para as telas do cinema.


Cartaz do musical da Broadway, 1956

Trilha sonora do musical da Broadway, 1956


O produtor Jack Warner dos estúdios Warner Bros. queria que o filme fosse dirigido por Vincente Minelli, mas o diretor pediu um salário alto demais e a direção passou para George Cukor
Jack pensou em Audrey Hepburn para viver Eliza, por ter um currículo memorável no cinema com filmes como Sabrina, Cinderela em Paris e Bonequinha de Luxo, se ela recusasse, o papel seria oferecido à Elizabeth Taylor, que desejava muito interpretar a personagem. Shirley MacLaine também sonhava com o papel de Eliza.
Ele achava que Rex Harrison era velho demais para fazer par romântico com Audrey, então ofereceu o papel para Peter O´Toole, mas o ator também pediu um salário alto e Rex acabou sendo mesmo o Sr. Higgins.


Rex Harrison por sua vez, queria que Julie Andrews também fosse Eliza, mas Jack Warner não queria uma atriz sem experiência no cinema. Por uma ironia do destino, Julie aceitou o papel de Mary Poppins oferecido pelos estúdios Disney e acabou ganhando o Oscar de Melhor Atriz em 1965.


O ator Rex Harrison causou uma grande dor de cabeça para a equipe de audio, como ele praticamente recitava as músicas, como fez no teatro musical, não teria como dublar a voz nos números musicais. A solução foi colocar um microfone escondido sob a gravata e mesmo assim teve seus fonogramas editados para sincronizar perfeitamente com os movimentos da boca.



Audrey Hepburn era uma excelente atriz, mas não tinha uma voz forte para os números musicais do filme e teria que ser dublada pela atriz Marni Nixon, que tinha a experiência de dublagem das atrizes: Marilyn Monroe em Os Homens preferem as Louras, Deborah Kerr em O Rei e Eu, também Natalie Wood em Amor Sublime Amor. Quando foi informada que seria dublada, Audrey saiu aborrecida dos estúdios, no dia seguinte, ela retornou e pediu desculpas para o diretor por seu comportamento deselegante.
A única canção cantada pela própria Audrey no filme foi Just You Wait.
A dubladora Marni teve que praticar o sotaque britânico popular para as canções.

A atriz Marni Nixon, foi quem dublou as canções de Audrey no filme

O figurino do filme foi criado por Cecil Beaton, que era amigo do diretor George Cukor e também havia desenhado para o musical da Broadway. Nos créditos do filme, aparece Cecil como diretor na arte, na realidade, ele só desenhava os figurinos femininos, quem realmente dirigia a produção artística do filme era Gene Allen. Mas por causa de uma clausula no contrato, a responsabilidade como designer e direção teriam que ser de Cecil mesmo.

Vamos ver a seguir o brilhante figurino desenhado por Cecil Beaton. A cena da Ascot Gavotte é sem dúvida um show de moda presente no filme.

























Cecil  Beaton além de figurinista, era fotógrafo, que teve trabalhos publicados na revista Vogue. Às vezes, ele deixava o diretor irritado, pois pegava Audrey para posar com os figurinos do filme, atrasando as gravações. Hoje é possível dizer que as melhores fotografias sobre o filme são justamente as que foram tiradas por Cecil.



Para o cartaz do filme, a incumbência foi dada ao ilustrador Bob Peak, que havia criado o poster do filme Amor Sublime Amor. O cartaz tem um estilo psicodélico, bem característico dos anos 60.






Veja outras versões de cartazes e lobby cards do filme:












Vamos conhecer os personagens do filme:


Eliza Doolitle (Audrey Hepburn) - Vendedora de flores desbocada, que fala de modo grosseiro, vira alvo de uma aposta do professor Higgins, que quer transformá-la em uma distinta dama da sociedade.



Prof. Henry Higgins (Rex Harrison) - Um douto em linguística, tem um temperamento arrogante, fica impressionado com o linguajar chulo de Eliza e aposta que vai conseguir educá-la.

Alfred Doolittle (Stanley Holloway) - O pai de Eliza, é um malandro, que vive de pequenos serviços e também pegando dinheiro com a filha.


Coronel Hugh Pickering (Wilfrid Hyde-White) - Um perfeito cavalheiro, aristocrata e muito gentil, duvida que o prof. Higgins possa conseguir fazer Eliza falar corretamente e transformá-la em uma dama.


Sra. Higgins (Gladys Cooper) - A mãe do prof. Higgins, é uma verdadeira dama inglesa que frequente a alta sociedade, detesta o jeito indelicado e arrogante do filho, que sempre lhe faz passar vexame.



Freddy Eynsford-Hill (Jeremy Brett) - Jovem charmoso e rico, se apaixona perdidamente por Eliza, torcendo para que ela corresponda ao seu amor.



Sra.Eynsford-Hill (Isobel Elson) - Mãe de Freddy e amiga da Sra. Higgins, é uma mulher rica e sofisticada, tem muita curiosidade à respeito da vida de Eliza.


Sra. Pearce (Mona Washbourne) - A governanta da casa do prof. Higgins, tem uma paciência enorme com o temperamento arrogante do patrão.



Zoltan Kárpáthy (Theodore Bikel) - O húngaro ex-aluno do prof. Higgins, também se tornou um especialista em linguística, surge no baile Real e fica incumbido de descobrir sobre Liza. 



Trilha Sonora
  1. "Overture" – Played by Orchestra.
  2. "Why Can't the English Learn to Speak?" – Performed by Rex Harrison, Wilfrid Hyde-White and Audrey Hepburn.
  3. " Wouldn't It Be Loverly? " – Performed by Audrey Hepburn (dubbed by Marni Nixon) and Chorus.
  4. "An Ordinary Man" – Performed by Rex Harrison.
  5. " With a Little Bit of Luck " – Performed by Stanley Holloway, John Alderson, John McLiam and Chorus.
  6. "Just You Wait" – Sung by Audrey Hepburn (partially dubbed by Marni Nixon) and Charles Fredericks.
  7. "Servants Chorus" – Sung by Mona Washbourne and Chorus.
  8. " The Rain in Spain " – Performed by Rex Harrison, Wilfrid Hyde-White and Audrey Hepburn (partially dubbed by Marni Nixon).
  9. " I Could Have Danced All Night " – Performed by Audrey Hepburn (partially dubbed by Marni Nixon), Mona Washbourne and Chorus.
  10. "Ascot Gavotte " – Sung by Chorus.
  11. "Ascot Gavotte (Reprise)" – Sung by Chorus.
  12. " On the Street Where You Live " – Sung by Jeremy Brett (dubbed by Bill Shirley).
  13. "Intermission" – Played by Orchestra.
  14. "Transylvanian March" – Played by Orchestra.
  15. "Embassy Waltz" – Played by Orchestra.
  16. "You Did It" – Performed by Rex Harrison, Wilfrid Hyde-White and Chorus.
  17. "Just You Wait (Reprise)" – Sung by Audrey Hepburn.
  18. "On the Street Where You Live" (reprise) – Sung by Jeremy Brett (dubbed by Bill Shirley).
  19. "Show Me" – Sung by Audrey Hepburn (dubbed by Marni Nixon) and Jeremy Brett (dubbed by Bill Shirley).
  20. "Wouldn't It Be Loverly" (reprise) – Sung by Audrey Hepburn (dubbed by Marni Nixon) and Chorus.
  21. " Get Me to the Church on Time " – Performed by Stanley Holloway, John Alderson, John McLiam and Chorus.
  22. "A Hymn to Him (Why Can't A Woman Be More Like a Man?)" – Performed by Rex Harrison and Wilfrid Hyde-White.
  23. "Without You" – Sung by Audrey Hepburn (dubbed by Marni Nixon) and Rex Harrison.
  24. " I've Grown Accustomed to Her Face " – Performed by Rex Harrison.
  25. "Finale" – Played by Orchestra.


O filme levou 8 Oscar em 1965:
  • Melhor Filme
  • Melhor Ator - Rex Harrison
  • Melhor Direção de Arte - Gene Allen, Cecil Beaton, George James Hopkins
  • Melhor Diretor - George Cukor
  • Melhor Figurino - Cecil Beaton
  • Melhor Fotografia - Harry Strading Jr.
  • Melhor Trilha Sonora - André Pevin
  • Melhor Som - George Groves

Ainda ganhou o Globo de Ouro :
  • Melhor Filme
  • Melhor Ator
  • Melhor Diretor

Em 1996, a Mattel lançou uma coleção especial para colecionadores:






Em 1994, o filme foi totalmente restaurado pelos especialistas James C. Katz e Robert A. Harris, em comemoração aos 30 anos.
O curioso é que o musical é antológico, apesar dos protagonistas não serem cantores, mas o cinema tem dessas magias.

You Might Also Like

0 comentários